PIX, NOVO SISTEMA DE PAGAMENTOS, COMEÇA A FUNCIONAR 100%

O Pix, novo meio de pagamentos criado pelo Banco Central, entra em operação plena nesta segunda-feira (16), após passar duas semanas em testes com funcionamento limitado por volumes e horários. Agora, todas as 762 instituições financeiras e mais de 50 milhões de clientes já cadastrados poderão usar a plataforma, que vai funcionar 24 horas por dia, todos os dias do ano.
 
Antes de entrar em pleno funcionamento hoje, o Pix passou por uma fase de operação controlada, com funcionamento apenas para 5% da base de clientes dos bancos e em horários limitados.
 
O que é o Pix? O Pix é uma nova forma de transferir dinheiro, de forma instantânea. Vai servir como uma alternativa ao DOC e à TED para transferir dinheiro. Também poderá ser usado para fazer pagamentos, como opção ao cartão de débito, de crédito, ou ao boleto.
 
Quem criou o Pix? O Pix foi criado pelo Banco Central, mas quem vai oferecer o Pix às pessoas e empresas serão as instituições financeiras: bancos, meios de pagamento e fintechs. Na hora de fazer um pagamento ou uma transferência de dinheiro, além de TED e DOC, haverá a opção de fazer um Pix.
 
Quais as vantagens do Pix? Segundo o Banco Central, as principais vantagens do Pix são:
 
- O serviço estará disponível 24 horas por dia, todos os dias, inclusive finais de semana
 
- As transações serão concluídas em menos de 10 segundos
 
- O Pix será gratuito para pessoas físicas, inclusive MEIs (microempreendedores individuais)
 
O que é a chave Pix? A chave Pix é como o endereço da sua conta no Pix, da mesma forma que um número identifica a pessoa na hora de votar, no título de eleitor, ou o email identifica o endereço de alguém na Internet para receber mensagens.
 
Como criar uma chave Pix? Para criar uma chave Pix, a pessoa ou empresa precisa usar uma dessas quatro formas de identificação: CPF/CNPJ, email, número de telefone celular ou a chave aleatória.
 
A chave aleatória é uma forma de receber um Pix sem precisar informar dados pessoais. Será como um login, ou seja, um conjunto de números, letras e símbolos gerados aleatoriamente que identificará a conta do destino de recursos.
 
Onde criar a chave Pix? O registro das chaves Pix deve ser feito no banco ou instituição financeira onde a pessoa tem conta, pelos seus canais de acesso - como app do celular, internet banking ou nas agências. Cada instituição financeira deve avisar os clientes sobre como proceder.
 
Quantas chaves Pix uma pessoa pode ter? Cada consumidor pode ter 5 chaves para cada conta da qual for titular. Os clientes pessoa jurídica podem ter 20 chaves para cada conta.
 
 
Como fazer transações com o Pix? Na hora de fazer uma transação - como pagamento ou envio de dinheiro -, o Pix vai aparecer no aplicativo do celular como uma das opções para concluir a operação, ao lado da TED ou DOC, por exemplo. Basta escolher o Pix que a operação será feita por esse sistema. 
 
 
Empresas também poderão oferecer o Pix como forma de pagamento aos seus clientes por meio de um QR Code. Na hora de fechar o negócio, basta escolher o Pix no seu aplicativo e capturar a imagem do QR Code com a câmera do celular.
 
 
As transações com Pix serão cobradas? O serviço será gratuito para pessoas físicas, inclusive MEIs (microempreendedores individuais), com algumas exceções.
 
 
Pessoas físicas e MEIs poderão ser cobradas pelo uso do Pix em duas situações, segundo o BC:
 
 
- Quando receberem recursos via Pix para pagamento por venda de produto ou por serviço prestado;
 
 
- Se usar os canais presenciais ou de telefonia para realizar um Pix, quando os meios eletrônicos estiverem disponíveis. Ou seja, quando fechar a transação no próprio estabelecimento, sem usar o aplicativo do celular numa hora em que o sistema esteja disponível.
 
 
Estabilidade do sistema
 
O Banco Central diz que o serviço pode apresentar alguma instabilidade para algumas instituições financeiras nos dias iniciais de operação, mas destacou que isso faz parte do processo e que não vão prejudicar as operações.
 
Segundo o Banco Central, os sistemas são seguros e todas as instituições financeiras estão preparadas para operar na plataforma.
 
Atenção com as fraudes
 
O Banco Central e a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) alertam que os consumidores devem ficar atentos às tentativas de fraudes, já que golpistas costumam aproveitar novidade do mercado para explorar descuidos de consumidores.
 
Atenção redobrada com falsos links enviados por e-mail ou pelo Whatsapp, é uma das dicas mais importantes, segundo o BC e a Febraban.
 
Os clientes devem usar apenas os canais de comunicação oferecidos pelas instituições financeiras para realizar as transações. Se algo novo tiver que ser apresentado pela instituição financeira ao cliente, essa novidade será comunicada por meio de um canal que esse cliente já utiliza, como o app do celular, o internet banking ou terminal eletrônico da agência.
 
Se algo diferente aparecer, a dica é checar com a instituição financeira antes de tomar qualquer iniciativa.
 
Segundo o Banco Central, em caso de fraudes, caberá ao prestador de serviço de pagamento - a instituição financeira na qual a chave Pix está cadastrada - a análise do caso o eventual ressarcimento, a exemplo do que ocorre hoje em outras modalidades de fraudes bancárias.
 
Fonte: UOL/SP (16.11.2020)