Prodesp pede explicações a empresa por supostas demissões

A companhia estuda medidas jurídicas contra a empresa Alternativa por alarmismo falso de demissão.

poupatempo1A Prodesp enviou um ofício para a empresa Alternativa solicitando informações sobre supostas demissões de colaboradores do Poupatempo. A companhia estuda entrar com medidas jurídicas contra a empresa em razão do falso alarmismo gerado.

O Governo de São Paulo atua para a manutenção dos empregos e a Prodesp está se reunindo com todas as empresas terceirizadas para ouvir as demandas e estudar medidas conjuntas e não unilaterais, como a tomada pela empresa Alternativa.

A suspensão dos contratos de serviços de empresas terceirizadas até 30 de abril não significa rescisão, já que os seus contratos serão reativados imediatamente ao final da quarentena. A consequência não pode ser demissão em massa.

Lembrando que, por contrato, as empresas terceirizadas têm que arcar com os custos mesmo que sem pagamento feito pela Prodesp por 90 dias.

Todas as empresas estão orientadas a não demitir e cumprir a folha de pagamento, inclusive a empresa já mencionada, que cancelou imediatamente os avisos prévios emitidos nesta quinta-feira (26).

Fonte: Portal do Governo de SP (26.03.2020).

Página 1 de 162