Genival Beserra Leite - PresidenteEste ano já começa com uma ótima notícia para a nossa categoria: a efetivação de mais de 30 mil profissionais que trabalharam temporariamente no Natal do ano anterior, em todo o Brasil, o que representa emprego formal para 25% dos 125 mil temporários contratados. Esta modalidade de emprego vem sendo boa porta de entrada para o mercado de trabalho porque é uma oportunidade para o trabalhador demonstrar sua capacidade e receber o que lhe é de direito, assim como o efetivo.

Em 2009, o número de temporários contratados no Brasil superou em 8,5% o registrado no ano anterior. Só o Estado de São Paulo foi responsável por mais de 40 mil vagas temporárias. As funções mais requisitadas foram as de vendedores, fiscais de loja, empacotadores, atendentes, estoquistas, tiquetadores, operadores de telemarketing, auxiliares, analistas de crédito e papai noel. Os setores que mais contrataram foram shoppings, supermercados, lojas de departamentos e varejo.

Estes números, crescentes a cada ano, mostram que o Brasil está evoluindo nas suas relações de trabalho. E é uma evolução muito importante porque não prejudica o trabalhador e oferece oportunidades de emprego, principalmente para jovens inexperientes que formam a grande parte de desempregados no País.

Para 2010, o Centro de Estudos Sindicais e de Economia do Trabalho da Unicamp (Cesit) estima que serão criados 1,2 milhão de novos postos de trabalho com carteira assinada no Brasil, pelo menos 200 mil a mais do que em 2009. Neste cenário, acreditamos que os segmentos de temporários e de terceirizados serão os grandes propulsores do mercado de trabalho e continuarão abrindo oportunidades para os que sonham com um emprego efetivo.

Presidente
Genival Beserra Leite

Página 85 de 92