Genival Beserra Leite - PresidenteAntes de a crise chacoalhar a economia mundial, o maior problema era a falta de mão de obra qualificada. Com a crise, as vagas de trabalho foram devastadas em todos os lugares do mundo onde os reflexos foram sentidos. Hoje, passados os tremores, o assunto volta a ser discutido: sobra emprego e faltam profissionais qualificados.

Matéria divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo, em fevereiro, mostra que só 39% das vagas formais ofertadas no Brasil em 2009 foram preenchidas, ou seja, houve uma sobra de 1,7 milhão de vagas nas agências públicas de emprego. Um recorde batido justamente no ano em que tais agências mais ofertaram empregos. O motivo: falta de qualificação e preparo.

Dados do Sindeepres mostram que a situação não é diferente na terceirização. Para se ter ideia, em 2009 apenas 20% de todas as vagas ofertadas, por intermédio do Balcão de Empregos Sindeepres, foram preenchidas. Neste caso, a falta de qualificação também foi um dos principais obstáculos. Na portaria, por exemplo, temos alta procura por profissionais, mas muitas vezes as vagas não são preenchidas por falta de qualificação técnica do candidato, mesmo que ele tenha grande experiência na área.

De acordo com essas informações, nosso Sindicato renovou a grade de cursos e palestras para o ano de 2010. O curso de Portaria Informatizada, por exemplo, foi criado para suprir essa necessidade. Do primeiro curso, realizado em São Paulo, oito pessoas foram empregadas em vagas de portarias.

Para 2010, com o aquecimento da economia, a expectativa é de que o Brasil oferte ainda mais empregos. O setor de serviços deverá ser uma das principais alavancas do emprego, assim como ocorreu durante a crise, principalmente quando se fala de terceirizados, que oferecem mão de obra mais qualificada.

Portanto, é importante lembrar que quem estiver atualizado e devidamente qualificado terá mais chances de encontrar um bom emprego.

Presidente
Genival Beserra Leite

Página 84 de 92